Ana Sabino nasceu no Porto, em 1983. O seu percurso académico e profissional foi sempre orientado por uma vocação em relação aos livros e à palavra escrita, nas suas várias vertentes.

Licenciou-se em Design de Comunicação, na Faculdade de Belas-Artes de Lisboa. Trabalhou no atelier FBA., em Coimbra, onde foi responsável, juntamente com o director criativo João Bicker, pelo design gráfico da exposição «Weltliteratur», patente na Fundação Calouste Gulbenkian, com curadoria de António M. Feijó e arquitectura de Aires Mateus. Esse trabalho mereceu um prémio internacional Red Dot Design Award 2009. Nos anos seguintes foi responsável pelo design gráfico de várias outras exposições e trabalhou com vários museus, destacando-se pela continuidade o Museu Nacional de Arte Antiga.

Em 2011 teve a oportunidade, proporcionada por uma bolsa Inov-Art atribuída pela Direcção-Geral das Artes, de ir trabalhar com a editora Cosac Naify, em São Paulo: uma editora brasileira de arte e literatura especialmente reconhecida pela qualidade da sua edição e dos seus projectos gráficos.

Em 2014 terminou o mestrado em Teoria da Literatura, na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, com a tese «Literatura para míopes – um olhar aproximado sobre questões de forma em teoria da literatura», que se foca no cruzamento entre a forma visual dos livros com a teoria literária, orientada pelo professor doutor António M. Feijó.

Nesse mesmo ano iniciou o doutoramento em Materialidades da Literatura, na Universidade de Coimbra, com uma tese orientada pelos professores doutores Manuel Portela e João Bicker. A intenção da tese é a de perceber a forma como as características gráficas de um livro nos orientam na leitura, partindo da análise de três edições diferentes de um mesmo texto, e o seu título provisório é «Instruções de leitura: um estudo sobre convenções gráficas de apresentação da palavra escrita».